A dor e a delícia de ter a coragem para reformular no meio do caminho.

A dor e a delícia de ter a coragem para reformular no meio do caminho.

Trabalhar internamente o desapego do que idealizamos, ou que por um tempo, tínhamos certeza que aquilo era o certo, tão certo quanto a sensação de subir no pódio da vitória (incerta).

Nossa, Quanto barulho! Quem bate? – Somos nós, os pensamentos de menos valia, e trouxemos junto as mil dúvidas e uma mala de cheia de comparações pra vc.

Oi! Entrem, mas não demorem. Será só um tempo de preparar um café, enquanto, isso batemos um papo.

Frustração querida, vc veio tão cheia de expectativas. E vc ansiedade, insiste nessa história de querer tudo pra ontem, vai acabar tendo uma crise de estresse com tantas cobranças.

Outro dia o Radical, o Perfeito e o Controle estiveram aqui e quase me convenceram de arquivar meu projeto lindo que plantei, diziam que ninguém se interessaria e blá-blá-blá. Eles estavam vestidos com persuasão e pareciam gigantes. Fizeram doutorado na faculdade de Visualizações e Sucesso Instantâneo. Foi intimador! Eles falam demais!

A sorte é que a Sabedoria chegou na hora, aliás, ela estava linda, vestida de fluidez e junto uma cesta com adubo novo, cheio de inspiração e propósito do coração.

Bom, a conversa tá boa, o café foi bom, mas agora vou pedir licença pra chamar o trabalho que está na casa da Experiência, se divertindo com o novo adubo.

Ah, e antes que eu me esqueça, podem levar essa mala de volta, já estou cheia de comparações e me exercito sempre jogando-as fora. Elas vem com embalagens sedutoras mas só servem pra ocupar espaço com julgamentos e complexos.

_______________________________________________________________________________________________________________________________

Pois então, essa foi uma maneira simbólica e sincera que encontrei para contar o que me aconteceu nos últimos dias.

Quando fui preparar o novo vídeo para a série A Colheita, me deparei com várias questões que me fizeram repensar e reformular a proposta inicial.

O lindo foi descobrir que o meu processo, que compartilho com vocês, é orgânico, está em constante movimento e por consequência, com chances de reformas no meio do caminho.

E olha que interessante, tudo isso começou quando entrei no núcleo da Mãe, que é uma energia mais Yin, ou seja, mais meditativa, reflexiva, introspectiva.

Vejo essa oportunidade de mudança com muito respeito e amadurecimento.

E você, já chegou no meio do caminho e descobriu que tinha que mudar? Quais pensamentos bateram na sua porta?

 

 

Deixe uma resposta